À espera da recuperação da economia em 2021

13/01/2021

Em Encontro Nacional da Indústria (ENAI), realizado em novembro, especialistas dizem que, se as medidas corretas forem tomadas, o país assistirá a uma recuperação econômica no ano de 2021, mas apostam que ela será lenta, gradual e heterogênea.

As maiores incertezas estão no cenário político para o ano, principalmente em relação ao compromisso do governo com o ajuste fiscal, a aprovação de novas reformas estruturais como a tributária e a adoção de medidas para conter o desemprego. Mas contribuem também para esse quadro a indefinição sobre a manutenção do auxílio emergencial e a disputa pelas presidências da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, em fevereiro. Por fim, pesam ainda as dúvidas sobre como os novos casos de Covid-19 vão impactar a economia tanto do país quanto mundial.

Equilíbrio fiscal e outras incertezas
A economista da gestora Garde Asset, Natalie Victal, afirma que a questão fiscal é o principal desafio da área econômica a ser resolvido pelo governo federal no próximo ano. Para o consultor econômico da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do estado do Rio Grande do Sul (Fecomércio-RS), Marcelo Portugal, é preciso conter a epidemia da Covid-19 na área sanitária e reconstruir o equilíbrio fiscal. Para o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, as prioridades em 2021 devem ser aprovar as reformas tributária e administrativa e cumprir o teto de gastos públicos para viabilizar o equilíbrio fiscal.

Para ler a cobertura completa da Agência de Notícias CNI, acesse https://bit.ly/38sGere.

0 Comentários
Escrever Comentário

Veja também

20378 Setor produtivo apoia manutenção da Selic em 2% ao ano Saiba Mais
20377 Senai inaugura nova formação em Segurança 4.0 Saiba Mais
20376 Pela primeira vez em dez anos, emprego cresce na indústria em dezembro Saiba Mais