Usiminas retoma as operações do Alto-Forno 2 em Ipatinga

01/07/2021

A Usiminas retomou, em 14 de junho, a produção do Alto-Forno 2 da Usina de Ipatinga. O equipamento era o último que ainda estava paralisado e, com o retorno, a Usina volta a operar a plena carga na produção de aço bruto.

O equipamento tem capacidade de produzir pouco mais de 600 mil toneladas de ferro-gusa por ano e ficou cerca de oito meses parado. O presidente da empresa, Sergio Leite, destaca que o retorno do equipamento permitirá elevar em cerca de 20% a produção de gusa na Usina de Ipatinga em relação aos níveis do quarto trimestre de 2020 e do primeiro trimestre de 2021. “Dessa maneira, iremos ampliar, ainda mais, nossa capacidade de atendimento ao mercado interno, que registrou um aumento da ordem de 44% no consumo aparente de aços no primeiro quadrimestre de 2021, em relação ao ano passado”, conta. O executivo lembra que a Usiminas tem sua atuação voltada ao mercado interno, com vendas em torno de 80% da produção.

Inovação e meio ambiente
Durante o período da reforma, o equipamento sofreu intervenções no cadinho, nos refratários da rampa até a cuba superior e no sistema de refrigeração no topo do equipamento, entre outras ações. A Usiminas se tornou a primeira siderúrgica no Brasil a utilizar a metodologia recuperação de cadinho com aplicação de concreto refratário. A tecnologia permite a redução do tempo gasto na atividade e também do custo. O mesmo equipamento recebeu, ainda, uma melhora em seu sistema de monitoramento e controle de temperaturas.

Em linha com a política de sustentabilidade que vem sendo intensificada, a companhia investiu outros R$ 25 milhões na reconstrução do sistema de tubulações e coifas e no sistema de despoeiramento do forno. A iniciativa irá proporcionar uma redução na emissão de particulados durante a operação e um melhor desempenho ambiental do equipamento.

“Esse segundo investimento é mais um passo em nossa agenda ESG. Na mesma linha, podemos citar a Central de Monitoramento e a Rede Automática de Monitoramento de Particulados, inauguradas em 2020”, lembra Américo Ferreira Neto, vice-presidente Industrial da Usiminas. O executivo ressalta que a metas ESG da companhia incluem ainda temas como diversidade e inclusão e saúde e segurança do trabalho.

(Com informações do release de imprensa da Companhia)

Interessado no tema da sustentabilidade na indústria? Não perca nosso encontro Agenda ESG: Negócios de valor, no dia 15 de julho, às 17h. Saiba mais em https://bit.ly/364n3Ce.

0 Comentários
Escrever Comentário

Veja também

20939 Indústria 4.0: adoção de tecnologias fornece melhor conectividade e vantagem competitiva Saiba Mais
20938 Indústria da transformação e de serviços produtivos devem gerar 700 mil empregos até 2031 Saiba Mais
20937 Reforma tributária trará maior competitividade internacional para a indústria, acredita a CNI Saiba Mais