TCU não acata pedido para reverter mudanças na geração distribuída

11/12/2019

Se alterações se confirmarem, especialistas acreditam que investimentos em energia solar no país podem perder força

No final de novembro, o Tribunal de Contas da União (TCU) não acatou o pedido do subprocurador-geral do Ministério Público (MP) para tentar reverter planos da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) de mudar regras da chamada geração distribuída (GD), que atualmente recebe incentivos para investimentos.

O modelo de geração envolve, principalmente, a instalação de sistemas fotovoltaicos em telhados ou grandes terrenos por parte de consumidores. Pela proposta da Aneel, os subsídios atualmente existentes seriam reduzidos a partir de 2020 para novos sistemas. Já os projetos outorgados e em funcionamento entrariam no novo modelo de remuneração em 2030.

No pedido de medida cautelar remetido ao TCU, o MP alegou que havia na proposta da Aneel possível ofensa aos princípios da segurança jurídica. Na avaliação do subprocurador-geral, pode haver dano à União, na medida em que os investidores “lesados” poderiam pleitear na Justiça indenizações em função do que deixarão de economizar.

Em paralelo, o MP defendeu a visão compartilhada pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), de que as mudanças podem desestimular investimentos para a instalação de novos sistemas solares no Brasil.

De acordo com o TCU no despacho, no entanto, a Secretaria de Fiscalização de Infraestrutura Elétrica (SeinfraElétrica) entendeu que o processo regulatório em curso foi suficientemente transparente e que a administração sinalizou, em várias oportunidades, que as condições de compensação da energia elétrica estabelecidas em 2012 não seriam eternas.

Saiba mais detalhes no https://bit.ly/2Ln1GlM.

0 Comentários
Escrever Comentário

Veja também

19715 Governo anuncia medida de estímulo ao setor de energia solar Saiba Mais
19714 Países do Brics querem estimular transformação digital de suas PMEs Saiba Mais
19713 CNI: em recuperação, confiança do empresário segue crescendo Saiba Mais